Os melhores jogadores da CONMEBOL Copa América 2021

Guia da Betsson para a Copa América 2021


Uma nova edição da CONMEBOL Copa América costuma carregar consigo a promessa de grandes emoções, pois pode-se dizer que esse torneio é também uma celebração do espírito que une o continente em irmandade, seja em tempos de glória ou adversidade, por meio do esporte mais amado do planeta. Esta será a primeira edição do campeonato que ocorrerá ao lado de sua contraparte europeia, tendo o potencial de atrair a atenção de pessoas tanto de dentro quanto de fora da América do Sul. 

Muitos dos jogadores que encantam o mundo defendendo clubes europeus dedicarão seu suor às seleções sul-americanas este ano. Alguns destes estão prestes a encerrar suas carreiras, caso do aparentemente incansável Daniel Alves. Outros estão prestes a dar seus primeiros passos como defensores da esquadra, algo que talvez aconteça com Gabriel Menino. Figurando como patrocinador desta edição da Copa América, a Betsson escolheu a dedo os jogadores que merecem a atenção do público, tanto do Brasil quanto de outras seleções poderosas que estão no páreo.

O Brasil é ainda o maior destaque não só pela sua história de multicampeão mundial e continental, mas também por ser o atual vencedor da CONMEBOL Copa América. Os esforços de jogadores como Gabriel Jesus e Alisson deram à seleção “canarinho” o seu nono título da competição com mais de 100 anos de história. A gana de adicionar mais um troféu à cabine permanece viva, ainda mais considerando a injeção de ânimo que uma nova glória trará pouco mais de um ano antes da Copa do Mundo de 2022.

Entretanto, teremos algumas ausências significativas entre os elencos da competição, algo que poderá ter efeito nas cotas das promoções especiais da Betsson. O Brasil não terá a presença de Philippe Coutinho e Marcelo, que ficarão de fora devido a problemas de lesão. Dois jogadores importantíssimos da seleção peruana, Yordi Reyna e Andy Polo, também estarão ausentes. Enquanto isso a Argentina ficará sem Paulo Dybala, e a seleção colombiana não terá o veteraníssimo Radamel Falcao como opção para o ataque por conta de problemas físicos.

Essas ausências, no entanto, não diminuirão o brilho do espetáculo ou as chances e a vontade de vitória de cada uma das seleções, que certamente darão tudo de si para levantar o troféu da Copa América, uma competição rica em história e em curiosidades fascinantes.

Jogadores para ficar de olho

É provável que o elenco convocado pelo técnico Tite para os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, que ocorrerão pouco antes da CONMEBOL Copa América, seja também escalado para a competição continental. Muitos são nomes jovens e ainda têm bastante tempo pela frente para demonstrar seu potencial com a camisa amarela. Outros, no entanto, como o já mencionado Daniel Alves e o zagueiro Thiago Silva, carregam toda a vontade de fechar seu ciclo na Copa América com chave de ouro.

São vários os jogadores que merecem uma atenção especial dos fãs de futebol na Copa América. Boa parte deles são jogadores brasileiros, mas também há nomes que serão adversários da Seleção na fase de grupos ou na fase final do torneio.

Renan Lodi – Lateral Esquerdo (Brasil)

O ex-lateral esquerdo do Athletico Paranaense tem sido destaque nos campos espanhóis pelo Atlético de Madrid. Logo após sua transferência, em 2019, o defensor foi chamado por Tite para a sua primeira atuação pela seleção principal. Desde então, Lodi tem sido presença constante nos elencos montados pelo comandante brasileiro.

Condições de jogo: Mesmo que ainda não seja titular absoluto no Atlético de Madrid, Lodi contribuiu de forma importante para o título da liga espanhola que o time levou na temporada 2020-21. Entre suas colaborações está o gol marcado na vitória de virada por 2 a 1 sobre o Osasuna, que manteve o time “colchonero” no topo da tabela da Espanha.

Éder Militão – Zagueiro (Brasil)

Enquanto a temporada do Real Madrid não atendeu às grandes expectativas que costumam circundar o time, Militão viu sua reputação na equipe crescer de forma exponencial na última temporada. Na Seleção, Militão marca presença desde 2018, tendo sido reserva da dupla de zaga Marquinhos e Thiago Silva na CONMEBOL Copa América de 2019.

Condições de jogo: O zagueiro foi vital na manutenção do Real Madrid como a segunda melhor defesa da liga de futebol espanhola, ficando atrás apenas do Atlético de Madrid, equipe vencedora. Na Seleção, será um substituto de alto nível tanto para Marquinhos quanto para Thiago Silva.

Douglas Luiz – Volante (Brasil)

DG, como é conhecido por seus colegas de time, ficou um tempo no Brasil antes de partir para a Inglaterra rumo ao Manchester City. Atuando hoje pelo Aston Villa, o volante brasileiro foi um dos grandes responsáveis pela manutenção do time na luta por uma vaga nas competições continentais da Europa.

Condições de jogo: Os 1,75 metros de altura de Douglas Luiz podem não ajudá-lo no jogo aéreo em um campeonato conhecido por esse aspecto de jogo. Em compensação, seu baixo centro de gravidade faz dele um excelente jogador para segurar a bola em qualquer parte do campo, podendo assim ser uma arma para Tite quando o técnico quiser segurar resultados.

Lucas Paquetá – Volante (Brasil)

Sendo um velho conhecido da torcida do Flamengo por ser uma das “pratas da casa”, Paquetá não teve um bom começo de carreira na Europa, pelo Milan. No entanto, os ares mudaram para melhor a partir da transferência para o Lyon, da França, onde o meio-campista foi um destaque na temporada, com 9 gols e 5 assistências na liga do país.

Condições de jogo: Paquetá fez parte da lista de suplentes para a Copa do Mundo de 2018 e também foi integrante do elenco que venceu a Copa América em 2019. Sua volta à boa forma ofensiva é de certo música para os ouvidos de Tite.

Gabigol – Atacante (Brasil)

O centroavante de maior destaque no cenário nacional atual deu seus primeiros passos no futebol com o Santos, rumando para a Inter de Milão e para o Benfica logo depois. Enquanto sua transição para a Europa não deu tão certo quanto era esperado, a volta ao Brasil tem sido o exato oposto. Desde sua chegada ao Flamengo, em 2019, Gabigol se firmou não só como um goleador prolífico, mas também como um jogador de grandes ocasiões graças aos gols em jogos finais – incluindo os dois gols na final da Copa Libertadores 2019, que deram ao Flamengo o seu segundo título na competição após 37 anos de jejum.

Condições de jogo: Gabigol continua a marcar gols importantes para o Flamengo, incluindo dois gols sobre o Fluminense na final do Campeonato Carioca para sagrar o rubro-negro como campeão do torneio em 2021. Logo, não será surpresa se Tite usar Gabigol nos momentos que o Brasil mais precisar de um gol ao longo da Copa América.

Vinicius Júnior – Atacante (Brasil)

Ainda que a função primária de Vinicius Júnior seja a de atacante, o que manteve o ex-flamenguista nas preferências de Zinedine Zidane no Real Madrid foi sua contribuição para a defesa a partir da linha ofensiva. O fôlego invejável de Vinicius fez dele uma excelente peça de suporte tanto defensiva quanto ofensiva, lançando mão da marcação e correndo muito bem com a bola nos pés.

Condições de jogo: Caso o Brasil enfrente alguma grande “ameaça” no ataque que atue primariamente pelo nosso lado esquerdo do campo, Vinicius estará à disposição de Tite para ajudar na marcação de tal “ameaça”. Além, é claro, de prover excelentes dribles para aliviar a pressão sobre nosso meio-campo e defesa.

Juan Cuadrado – Lateral Direito (Colômbia)

O veterano e polivalente jogador colombiano teve uma temporada digna de nota pela Juventus, na Itália. Foram 2 gols e 10 assistências registradas a partir da lateral direita da “Velha Senhora”, números notáveis para um jogador atuando em sua posição.

Condições de jogo: Cuadrado já tem quase 100 atuações pela seleção colombiana e foi destaque na Copa do Mundo de 2014 como o maior assistente para gols do torneio. Tudo indica que ele pode muito bem repetir tal feito na Copa América deste ano.

Luis Muriel – Atacante (Colômbia)

O Atalanta do centroavante Luis Muriel foi a grande surpresa positiva na Itália durante a temporada 2020-21. Com um ataque que marcou 90 gols na temporada, o time terminou a Série A italiana em terceiro lugar na tabela, e Muriel foi contribuinte direto para 31 destes tentos, com 22 gols e 9 assistências registradas.

Condições de jogo: São 7 gols em 36 atuações pela seleção colombiana desde sua estreia pelo time principal, em 2012. O veterano certamente tem vontade de melhorar sua marca pelos tricolores e se encontra em sua melhor forma para atingir tal objetivo.

Leandro Paredes – Volante (Argentina)

Ainda que a temporada do Paris Saint-Germain tenha sido bem abaixo das expectativas, o meio-campista Leandro Paredes pouco tem do que reclamar a nível individual. O volante se firmou como uma das peças principais do time francês, com atuações de gala a partir do meio-campo do PSG ao lado do italiano Marco Verratti tanto a nível nacional quanto continental.

Condições de jogo: Paredes fez o possível para colocar o PSG mais próximo do título da liga francesa, mas seus esforços não puderam superar o trabalho galante do Lille para reconquistar o campeonato. Ainda assim, sua qualidade em passes e faltas será muito apreciada pelo técnico argentino Lionel Scaloni ao longo da Copa América.

Pedro Gallese – Goleiro (Peru)

O arqueiro peruano foi destaque do time na CONMEBOL Copa América de 2019, sendo um dos principais contribuintes para a chegada da seleção à final da competição contra os donos da casa, Brasil. Sua excelente forma continua a nível clubístico, com atuações dignas de aplauso pelo Orlando City na Major League Soccer dos Estados Unidos.

Condições de jogo: Em seis jogos na MLS, Gallese sofreu apenas dois gols, com um índice de quase 95% de defesas realizadas. Caso ele consiga manter esta forma no nível de seleção, o Peru será no mínimo candidato a uma das melhores defesas do torneio.

José Giménez – Zagueiro (Uruguai)

Companheiro do brasileiro Renan Lodi no Atlético de Madrid, Giménez tem se solidificado como um dos melhores zagueiros da Europa a cada temporada que passa. A última temporada não foi diferente, com Giménez contribuindo com a manutenção de uma defesa que sofreu apenas 25 gols em 38 jogos na liga espanhola.

Condições de jogo: Giménez faz parte da seleção uruguaia desde 2013 e foi também incluído nas listas para as Copas do Mundo de 2014 e 2018. Ao lado do veterano Diego Godín, Giménez forma uma das melhores duplas de zaga das seleções mundiais há anos – algo que continuará na edição 2021 da Copa América.

Mauricio Isla – Lateral direito (Chile)

O veterano defensor chileno chegou ao Flamengo na metade do ano passado e teve impacto quase imediato no time. Suas performances lhe deram o título de melhor jogador da sua posição no Brasileirão 2020, além de terem ajudado o Flamengo a manter o título da liga por mais um ano em sua posse.

Condições de jogo: Outro jogador com um grande número de atuações pela sua seleção – 118 até aqui. Como um dos membros da geração que trouxe para o Chile dois troféus da Copa América, em 2015 e 2016, e com uma carreira provavelmente próxima do fim, Isla e seus companheiros terão vontade dobrada para dar ao Chile mais um troféu antes da aposentadoria.

A participação destes e de muitos outros jogadores é o que faz da Copa América um espetáculo fascinante. Os mais de 100 anos de história e a variedade de campeões faz a vitória na competição ser ainda mais especial. Até aqui, o Uruguai é o maior campeão do torneio, com 15 troféus. A Argentina tem 14 títulos e o Brasil é o terceiro maior ganhador, com nove. Logo, um eventual sucesso de Lionel Messi e seus companheiros na Copa América deixarão a Argentina empatada com o Uruguai na liderança de troféus da competição.

Nossa escalação ideal

Todo ano a CONMEBOL elege o time do ano baseado no rendimento dos jogadores sul-americanos ao longo da temporada, tanto dentro quanto fora do campo. Por esse motivo, elaboramos uma escalação ideal baseada nos mesmos critérios de seleção da edição anterior da Copa América. Tudo indica que os membros desta seleção nos darão um futebol digno de nota nos gramados este ano.

Alisson – Goleiro (Brasil)

Com o setor defensivo do Liverpool sentindo a ausência de Virgil van Dijk dos gramados, Alisson foi quem se elevou à ocasião com grandes performances. Uma vez recuperado das lesões, ele é certamente o melhor jogador de sua posição na Copa América.

Daniel Alves – Lateral direito (Brasil)

Um incansável jogador, apto a jogar tanto como lateral quanto no meio-campo. Defende com classe e apoia ataques com maestria. Um dos maiores ganhadores de troféus da história do esporte e merecedor de tal status.

Marquinhos – Zagueiro (Brasil)

Um defensor que marca duro, mas com uma qualidade de passe digna de um meio-campista. A cada temporada que passa, mostra-se cada vez mais como um talento geracional.

Thiago Silva – Zagueiro (Brasil)

Ainda é um “Monstro” na defesa. No Chelsea, é incontestavelmente o melhor zagueiro do time. Na Seleção Brasileira, faz com Marquinhos uma parceria histórica para o esporte.

Miguel Trauco – Lateral Esquerdo (Peru)

Melhorou muito desde sua saída do Flamengo em 2019, conseguindo posição de destaque no Saint-Étienne, da França. Tem a chance de mostrar sua evolução nos palcos continentais pela seleção peruana.

Casemiro – Volante (Brasil)

A alcunha de “Casemito” não vem à toa. Nesta temporada, mostrou-se mitológico tanto na defesa quanto no ataque pelo Real Madrid. E faz o mesmo quando atua pela seleção “canarinho”.

Federico Valverde – Volante (Uruguai)

Um dos parceiros de Casemiro no Real Madrid, e por méritos próprios. Sempre que atuou, mostrou grande classe no suporte ao ataque. O Uruguai precisará de tais habilidades para se sair bem na Copa América, e Valverde terá prazer em oferecê-las.

Lionel Messi – Ala Direito (Argentina)

Uma lenda viva. Com 30 gols e 9 assistências na liga espanhola, quase trouxe o título ao Barcelona por conta própria. Certamente essa mesma gana estará presente durante a Copa América para tentar agraciar a Argentina com o seu primeiro troféu em décadas.

Neymar – Ala Esquerdo (Brasil)

Com uma média de mais de um gol ou assistência por partida pela Seleção Brasileira, é impossível ignorar a qualidade do atacante. Caso se mantenha saudável durante toda a Copa América, um novo título brasileiro certamente passará pelos seus pés.

Luis Suárez – Centroavante (Uruguai)

Atacante não só consistente, mas também marcador de gols em grandes ocasiões. Liderou os esforços ofensivos do campeão Atlético de Madrid na Espanha e fará o mesmo pelo Uruguai na Copa América.

Lautaro Martínez – Centroavante (Argentina)

Jogando pela Inter de Milão, fez com o belga Romelu Lukaku uma das melhores duplas de ataque da Europa. Poderá fazer o mesmo jogando pela Argentina, com Lionel Messi e/ou Sergio Agüero.

Nesta Copa América, as seleções do campeonato demonstram a vontade de melhorar a qualidade da competição a partir dos jogadores que farão parte das respectivas equipes. Além dos já favoritos habituais, teremos no caminho várias surpresas. Caso queira apostar na competição, a Betsson conta com um guia prático que ensina os fundamentos básicos que te ajudarão a escolher sua seleção ideal, fazendo, assim, parte do maior torneio da América do Sul.