Grupos da CONMEBOL Copa América 2021 – Grupo A

Guia da Betsson para a Copa América 2021


O torneio de seleções mais antigo do mundo atrai muita alegria e grandes emoções para o continente sul-americano desde 1916. Essa competição é reconhecida por ser o evento esportivo realizado mais vezes.

Neste ano, a CONMEBOL Copa América 2021 conta a Betsson como parceira oficial nas apostas esportivas. Por conta disso, criamos uma Wiki completa com todas as informações que precisa saber para entender e acompanhar a competição continental. Conheça mais sobre a história da Copa América e também sobre algumas das maiores curiosidades deste torneio. 

Tradicionalmente, a competição é composta por todas as seleções filiadas à Conmebol, além de dois convidados de outras federações. Em 2021, a organização escolheu os dois últimos campeões da Copa da Ásia: Austrália e Catar. Entretanto, com as mudanças no calendário da competição, um choque de datas com as Eliminatórias da Copa do Mundo fez com que as duas equipes desistissem de disputar o torneio sul-americano.

Apesar disso, a CONMEBOL Copa América foi confirmada para acontecer em 2021, mas com um formato de apenas 10 seleções divididas em dois grupos. Cada equipe vai disputar quatro partidas na primeira fase, e as chaves foram divididas seguindo um critério geográfico. Confira os grupos: 

Grupo A

  • Argentina
  • Chile
  • Uruguai
  • Paraguai
  • Bolívia

Grupo B

  • Brasil
  • Peru
  • Colômbia
  • Equador
  • Venezuela

Os quatro primeiros colocados de cada grupo avançam para a próxima fase. Isso significa que apenas uma seleção será eliminada de cada chave.

Vamos ver em detalhes como estão montados os grupos, quais são as previsões para o nosso Guia de Apostas e em quais jogadores devemos ficar de olho, visto que podem brilhar no torneio.

A Jogada da Semana da Copa América 2021

A Copa América é um torneio cheio de emoções e que atrai a atenção de milhares de torcedores ao redor do mundo. Nesta seção, vamos falar de algo que a Conmebol chama de “A Jogada da Semana”. Uma homenagem que não é fácil de escolher, pois conta com uma grande quantidade de jogadores históricos na disputa. 

Nos últimos anos, nomes como Paolo Guerrero, Gabriel Batistuta, Ronaldo e Lionel Messi se transformaram em protagonistas desta homenagem especial. Em 2021, é preciso ficar de olho nos atletas que podem ganhar espaço nesta seção. 

Grupo A

As seleções que fazem parte do Grupo A e se enfrentam na primeira fase do torneio continental são: Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

Com o tempo, essas cinco seleções criaram uma grande rivalidade entre si no futebol sul-americano. Uma disputa que é positiva para os torcedores, que podem assistir grandes confrontos em campo. Na 47ª edição do torneio de seleções mais antigo do mundo, todas essas equipes voltam a se enfrentar em busca da vitória.

É preciso mencionar que todas as seleções vão contar com uma rodada de descanso na fase de grupos. Veja o calendário dos jogos: 


Rodada 1: 14 de junho

  • Argentina vs. Chile – Estádio Olímpico Nilton Santos (Engenhão), Rio de Janeiro – 18h
  • Paraguai vs. Bolívia – Estádio Olímpico Pedro Ludovico, Goiânia – 21h

Rodada 2: 18 de junho

  • Chile vs. Bolívia – Arena Pantanal, Cuiabá – 18h
  • Argentina vs. Uruguai – Estádio Nacional Mané Garrincha, Brasília – 21h

Rodada 3: 21 de junho

  • Uruguai vs. Chile – Arena Pantanal, Cuiabá – 18h
  • Argentina vs. Paraguai – Estádio Nacional Mané Garrincha, Brasília – 21h

Rodada 4: 24 de junho

  • Bolívia vs. Uruguai – Arena Pantanal, Cuiabá – 18h
  • Chile vs. Paraguai – Estádio Nacional Mané Garrincha, Brasília – 21h

Rodada 5: 28 de junho

  • Argentina vs. Bolívia – Arena Pantanal, Cuiabá – 21h
  • Uruguai vs. Paraguai – Estádio Olímpico Nilton Santos (Engenhão), Rio de Janeiro – 21h


Nesta próxima seção vamos relembrar o histórico da competição de cada seleção do Grupo A da Copa América. Assim, também poderemos falar melhor sobre a situação atual de cada equipe que entra na disputa. Por último, vamos fazer uma análise sobre os principais jogadores de cada seleção.


Argentina

A equipe alviceleste promete ser uma das protagonistas da Copa América desde o início da competição. Em todos esses anos de disputa, a Argentina já venceu a Copa América em 14 oportunidades diferentes AQAe foi vice-campeã em outras 14 ocasiões. Além disso, a equipe também já foi terceira colocada em cinco torneios e apenas duas vezes ficou na quarta posição.

Argentina na Copa América 2019

Na edição de 2019, a equipe argentina teve que se contentar com uma terceira posição. Os argentinos foram sorteados para o Grupo B, no qual enfrentaram Colômbia, Paraguai e Catar. Após as três rodadas da disputa inicial, a Alviceleste avançou de fase na segunda posição do grupo.

Pelas quartas de final, a Argentina não teve muitas dificuldades de superar a Venezuela – uma das principais surpresas do torneio – por 2 a 0. Entretanto, nas semifinais, o sonho do título acabou em derrota pelo mesmo placar para o Brasil.

Na despedida da competição, a equipe encarou o Chile pela disputa do terceiro lugar. A partida ficou marcada pela expulsão, em apenas 37 minutos de jogo, de Lionel Messi, da Argentina, e Gary Medel, do Chile. Após os 90 minutos de uma partida equilibrada, a Argentina garantiu a vitória por 2 a 1 com gols de Sergio Agüero e Paulo Dybala.

A Alviceleste em 2021

Para 2021, o treinador Lionel Scaloni continua sendo o responsável por comandar os melhores jogadores do futebol argentino na Copa América. O objetivo dos atletas, e também da comissão técnica, é claro: melhorar o resultado da edição passada. Para conseguir isso, a equipe vai contar com uma lista de convocados que mistura jogadores veteranos e outros que chegam com moral por conta do bom desempenho na temporada pelos respectivos clubes.

Nomes como Lionel Messi, Ángel Di María, Sergio Agüero e Paulo Dybala devem continuar como peças-chaves da seleção argentina. Um destaque importante é que, nos últimos anos, alguns desses atletas entraram para o seleto grupo de melhores jogadores da Copa América. Se esses veteranos conseguirem se encaixar bem com as novas gerações do futebol argentino, a seleção alviceleste tem tudo para se transformar em uma das principais postulantes ao título.


Chile

A La Roja já foi campeã da Copa América em duas ocasiões e de maneira consecutiva em 2015 e 2016. Essas boas campanhas recentes fazem da equipe chilena uma das principais concorrentes ao título. É preciso lembrar também que o Chile conta com quatro vice-campeonatos, além de ter ficado cinco vezes na terceira posição e 11 vezes na quarta. 

A seleção chilena na Copa América 2019

Após fazer história e levantar a taça de campeã em casa em 2015 e, logo depois, na edição Centenário, que aconteceu nos Estados Unidos em 2016, a seleção chilena terminou a Copa América de 2019 na quarta posição.

Na ocasião, o Chile foi sorteado para o Grupo C, ao lado de Uruguai, Japão e Equador. Após as três partidas da primeira fase, a La Roja avançou na segunda posição do grupo. Nas quartas de final, o empate de 0 a 0 com a Colômbia levou a disputa para os pênaltis. Os jogadores chilenos acertaram todas as cobranças, e apenas um jogador colombiano errou a batida. Isso foi o suficiente para o Chile avançar para as semifinais.

Nesta fase seguinte, o adversário foi o surpreendente Peru. Para a surpresa de muitos torcedores, a equipe peruana não teve muitas dificuldades para vencer por 3 a 0 e avançar de fase. Com isso, sobrou para o Chile a disputa pelo terceiro lugar contra a Argentina. A equipe, no entanto, não conseguiu superar o adversário e acabou perdendo por 2 a 1, terminando o torneio na quarta posição.

La Roja em 2021

Para a disputa da Copa América 2021, o treinador Martín Lasarte deve apostar em jogadores que atuam no futebol chileno. O bom rendimento na preparação para a disputa da Copa América foi uma das principais razões dessa escolha.

A ideia de Lasarte é unir esses talentosos jogadores que estão no Chile com as estrelas mais badaladas da seleção. Ou seja, jogadores como Leonardo Gil, Marcos Bolados e Iván Morales vão ter a oportunidade de ajudar no rendimento de ícones como Alexis Sánchez, Arturo Vidal e Claudio Bravo.


Uruguai

Historicamente, o Uruguai é a seleção que mais vezes foi campeã da Copa América. A equipe já venceu a competição em 15 oportunidades, além de ter também seis vice-campeonatos, nove terceiros lugares e ter ficado na quarta posição em cinco ocasiões.

O último título da seleção uruguaia na Copa América foi em 2011, quando a equipe levantou a taça na Argentina. A esperança para esta edição é de que o time consiga relembrar os anos dourados e volte a conquistar um título do futebol sul-americano.

A Celeste na Copa América 2019

Na edição de 2019, a seleção uruguaia ficou no Grupo C, ao lado de Chile, Japão e Equador. Com duas vitórias e apenas um empate, o time conseguiu avançar para as quartas de final como líder do grupo. Esse bom rendimento deu esperança aos torcedores por mais um título na competição. 

Entretanto, a Celeste foi eliminada na fase seguinte para o Peru, que venceu a disputa na decisão por pênaltis. Apesar da campanha fracassada, nomes como Luis Suárez, Edinson Cavani e José María Giménez saíram da competição em alta. Os dois primeiros entraram na lista de artilheiros da Copa América, enquanto Giménez foi escolhido para fazer parte da equipe ideal do torneio. 

A seleção uruguaia em 2021

Em 2021, Óscar Tabárez voltou a chamar os jogadores que mencionamos anteriormente. Além disso, ele acabou abrindo espaço e dando oportunidade para atletas que vivem um bom momento no futebol uruguaio e também em torneios no exterior. 

Entre as possíveis surpresas da competição estão jogadores como Diego Rossi, Lucas Torreira, Sebastián Coates e Matías Viña. Todos esses nomes são indispensáveis nas respectivas equipes e podem brilhar também com a camisa da Celeste.


Paraguai

A La Albirroja já venceu a Copa América em duas ocasiões: 1953 e 1979. Além disso, a seleção também foi seis vezes vice-campeã e sete vezes tanto terceira como quarta colocada.

Nos últimos anos, a melhor campanha paraguaia foi um quarto lugar em 2015. Ou seja, o retrospecto do time não é dos mais positivos. Porém, é preciso levar em conta que o time Sub-23 conquistou recentemente uma medalha de prata nas Olimpíadas de Atenas. Isso significa que a seleção conta com bons jogadores e não pode ser facilmente descartada em 2021.

La Albirroja na Copa América 2019

A equipe paraguaia teve uma participação interessante na Copa América de 2019. Ao lado de Colômbia, Argentina e Catar, a La Albirroja disputou a primeira fase no Grupo B. Os dois pontos somados nas partidas foram o suficiente para a equipe ficar entre os melhores terceiros colocados e garantir uma vaga nas quartas de final. 

O sonho do título acabou nesta fase, mas de maneira dramática. Após segurar um empate de 0 a 0 no tempo regulamentar, o Paraguai caiu nos pênaltis para o Brasil. Essa campanha serviu para que alguns jogadores paraguaios se destacassem em campo, como foi o caso de Óscar Cardozo, Roberto Fernández e Derlis González.

A seleção paraguaia em 2021

Para a disputa da Copa América 2021, o treinador Eduardo Berizzo vai apostar quase totalmente em novos talentos do Campeonato Paraguaio. Assim como ocorreu com outras seleções, o bom rendimento de alguns jovens na preparação para o torneio foi o suficiente para convencer Berizzo. Essas novidades incluem nomes como Carlos Sanabria, Gilberto Flores e Thiago Arévalo.

Ainda assim, alguns jogadores mais conhecidos também devem ganhar espaço na equipe, como é o caso de Ángel Romero, velho conhecido da torcida do Corinthians, Darío Lezcano e Óscar Romero.


Bolívia

A seleção boliviana conta com um título da Copa América, conquistado em 1963, quando foi escolhida anfitriã. Além dessa campanha vitoriosa, a La Verde também conseguiu um vice-campeonato em 1997 e dois quartos lugares em 1927 e 1949.

La Verde na Copa América 2019

Na edição passada do torneio, a equipe boliviana teve um desempenho ruim. Ela foi sorteada para o Grupo A e dividiu espaço com Brasil, Venezuela e Peru.

Durante a disputa por uma vaga na próxima fase, a Bolívia perdeu todas as partidas no grupo, ficou sem pontos e foi eliminada. Infelizmente, essa edição ficou marcada por ser uma das piores campanhas bolivianas na Copa América. Isso fez com que o treinador Eduardo Villegas fosse demitido e marcou o retorno do venezuelano César Farías ao comando da seleção boliviana.

A seleção boliviana em 2021

O principal objetivo de César Farías é sair da seca de títulos que vive a seleção. Para conseguir essa complicada missão, o treinador vai apostar em um nome bastante conhecido no futebol brasileiro: Marcelo Moreno. Além do artilheiro do Cruzeiro, a equipe também contará com jogadores que se destacaram no futebol boliviano, como é o caso de Juan Carlos Arce, Leonel Justiniano, Erwin Saavedra e Carlos Lampe.


Previsão – Vencedor do Grupo A

Analisando os dados, Chile e Argentina já se enfrentaram em 28 ocasiões diferentes na Copa América. De todos esses encontros, a Argentina venceu a disputa 20 vezes e o resultado terminou empatado em outros oito confrontos. 

Enquanto isso, Argentina e Uruguai jogaram entre si 31 vezes na competição. A vantagem aqui vai para a equipe uruguaia, que ganhou 15 dos confrontos enquanto os argentinos só venceram 14. Apenas quatro empates aconteceram entre os dois rivais.

Essas análises colocam a Argentina com maior favoritismo para ficar na primeira posição do grupo. Porém, a tarefa não será nada fácil, principalmente com a disputa equilibrada com Chile e Uruguai. 

Previsão – Equipe que será eliminada do Grupo A

Pelo lado oposto, a previsão de qual equipe será eliminada do Grupo A aponta para a Bolívia. Isso acontece porque a La Verde passa por um momento complicado no futebol e não parece que uma reviravolta acontecerá tão cedo.

Historicamente, a Bolívia já participou da Copa América 27 vezes e, em todas elas, só conseguiu avançar da primeira fase em seis ocasiões. 

Além disso, os melhores resultados da seleção boliviana na competição aconteceram quando o país foi anfitrião. Isso ocorreu no título de 1963 e também no vice-campeonato de 1997. Outro aspecto importante é que a seleção vai disputar a Copa América com jogadores pouco experientes e que só se destacaram no futebol boliviano.

Principais jogos do Grupo A

Três grandes rivais vão se enfrentar no Grupo A, e esses clássicos prometem ser partidas imperdíveis. 

14 de junho: a Argentina recebe o Chile no Estádio Olímpico Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

É importante relembrar aqui que as duas seleções já se enfrentaram 28 vezes dentro da Copa América. A vantagem é dos argentinos, que venceram em 20 ocasiões diferentes. Além disso, os últimos três confrontos entre os dois times tiveram dois empates e uma vitória argentina.

18 de junho: a Argentina recebe o Uruguai no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

O clássico do Rio de la Plata já aconteceu em 31 oportunidades diferentes na Copa América. A vantagem é uruguaia, com 15 vitórias contra apenas 14 da Argentina e quatro empates. Nos últimos três jogos entre eles, aconteceram dois empates e uma vitória argentina.

21 de junho: o Uruguai recebe o Chile na Arena Pantanal, em Cuiabá.

No torneio continental, essas duas equipes já se enfrentaram em 31 oportunidades. O acumulado desses encontros mostra 20 vitórias para o Uruguai, sete para o Chile e apenas quatro empates. Nas últimas três partidas entre os dois, a seleção uruguaia saiu vitoriosa duas vezes.  

Jogadores para acompanhar no Grupo A

O Grupo A da Copa América nos dará a oportunidade de ver grandes rivalidades em campo. Além disso, também vai nos permitir acompanhar o desempenho de alguns dos melhores jogadores da atualidade.

Vamos compartilhar uma lista com os principais jogadores para acompanhar neste grupo. Cada um deles busca fazer história na competição para se juntar ao seleto grupo de melhores jogadores da Copa América.


Argentina

Lionel Messi – O capitão da seleção argentina é um dos melhores jogadores da atualidade e é sempre o protagonista de todos os jogos em que entra em campo.

Nas 142 partidas que já disputou com a camisa alviceleste, Messi já marcou 72 gols e deu 42 assistências. Nos 27 jogos que atuou na Copa América, o camisa 10 soma nove gols marcados. Pelo Barcelona na temporada 2020/2021, o argentino marcou 38 gols em todas as competições. 

Ángel Di María – O meia do PSG fez uma temporada espetacular tanto no Campeonato Francês como na Liga dos Campeões. Atualmente, ele é um dos grandes protagonistas da equipe francesa, ao lado de Neymar e Mbappé.

Na Copa América, Di María conta com 17 partidas, quatro gols e quatro assistências. Isso significa que o objetivo do jogador na competição sul-americana, além do título, é somar ainda mais gols e participações positivas.

Sergio Agüero – O atacante de 33 anos está na reta final de uma carreira espetacular. Segundo alguns especialistas, Agüero é considerado um dos melhores jogadores da história da Premier League. A importância dele para o Manchester City na temporada 2021 é a maior prova disso.

Dentro da Copa América, Kun Agüero já conta com 19 partidas e nove gols marcados. Vale lembrar que dois desses gols foram na última edição do torneio, disputado em 2019.

Paulo Dybala – Desde que chegou em 2015, Dybala se transformou em uma referência para a Juventus. Isso foi provado na temporada 2020/2021, quando ele marcou cinco gols e deu duas assistências.

Apesar de ser convocado pela seleção argentina desde 2015, Dybala só estreou na Copa América em 2019. Nas quatro partidas que disputou, o atacante marcou um gol e espera aumentar essa contagem durante a disputa em 2021. 

Chile

Charles Aránguiz – O volante chileno se transformou em uma das principais referências do Bayer Leverkusen nos últimos anos. Além de ser o capitão da equipe, Aránguiz também é uma referência na seleção, pois é constantemente convocado desde 2009.

Durante as 80 partidas que disputou pela seleção, Aránguiz conseguiu marcar sete gols. Na Copa América de 2019, o volante foi premiado como o líder de assistências no torneio.

Gary Medel – Este defesa central é um dos jogadores mais importantes da seleção chilena desde 2007. Em todos esses anos, Medel conta com mais de 128 jogos com a La Roja, pela qual já marcou sete gols e deu cinco assistências.

Na edição passada do torneio continental, Medel foi titular nas partidas disputadas pelo Chile. Nesta temporada, o experiente zagueiro segue sendo uma referência para a defesa chilena, assim como fez no Bologna durante a temporada 2020/2021.

Alexis Sánchez – O ponta da Inter de Milão é um dos jogadores mais certeiros da atualidade e um recorde comprova isso. Ao lado de Cristiano Ronaldo, Sánchez é o único jogador que marcou três gols em uma só partida nos três campeonatos mais importantes do mundo.

Como titular absoluto da seleção chilena desde 2006, Alexis soma 136 partidas, com 45 gols marcados e 35 assistências dadas. Isso faz do jogador o maior artilheiro da La Roja na história. Durante a Copa América de 2019, Sánchez marcou dois gols e deu duas assistências. Ele chega como um dos líderes chilenos na disputa pelo título continental.

Arturo Vidal – O volante de 34 anos é um dos principais nomes da geração dourada do futebol chileno. Ele é constantemente convocado desde 2009 e já marcou 32 gols com a camisa chilena.

Na última edição da Copa América, Vidal se destacou como um dos melhores volantes da competição e ainda conseguiu marcar um gol. Atualmente, Vidal atua ao lado de Alexis Sánchez na Inter de Milão. 

Uruguai

Luis Suárez – Estamos diante do maior artilheiro da história da seleção uruguaia. O atacante teve uma temporada excelente e foi um dos principais destaques do título do Atlético de Madrid na La Liga. Assim como faz na seleção, ele também é um dos maiores artilheiros no futebol espanhol. 

Com 53 gols marcados em 116 partidas pelo Uruguai, Luisito merece respeito e atenção de todos os fãs de futebol. Na Copa América de 2019, Suárez marcou dois gols e deu uma assistência. 

Edinson Cavani – Considerado um dos maiores atacantes do mundo, Cavani conseguiu brilhar com a camisa do Manchester United em 2021. Os gols marcados na temporada foram essenciais para ajudar a equipe em alguns bons resultados.

Titular absoluto do Uruguai desde 2008, ele merece destaque por já ter marcado gol em todas as seleções afiliadas da Conmebol. Em 2019, ele saiu da Copa América com dois gols feitos.

Diego Rossi – Este atacante está apenas começando a carreira na seleção. Entretanto, Rossi merece alguma atenção pelo desempenho indiscutível que está tendo no Los Angeles FC, nos Estados Unidos. O prêmio de melhor jogador da MLS na temporada 2020 diz muito sobre o potencial desse uruguaio. 

O bom momento de Diego Rossi foi premiado com uma convocação para a seleção uruguaia. Essa será a primeira Copa América dele, e é uma oportunidade para ganhar experiência e brilhar no futebol sul-americano.

Lucas Torreira – Este meia uruguaio chegou ao Atlético de Madrid na temporada 2020/2021 e não demorou para ganhar uma vaga de titular e destaque no atual campeão espanhol.

Sendo convocado para a seleção desde 2018, Torreira vai jogar a Copa América pela segunda vez consecutiva. Nesta edição, a expectativa é que o jogador consiga dar algumas assistências para Luis Suárez e Edinson Cavani. 

Paraguai

Roberto Fernández – El gatito se transformou em uma referência entre os goleiros que disputaram a Copa América de 2019. Sem sofrer nenhum gol no tempo regulamentar na competição, ele recebeu o prêmio de melhor jogador da partida toda vez que o Paraguai entrou em campo.

Titular absoluto desde 2011, Fernández é novamente uma aposta do Paraguai pela experiência e segurança. 

Derlis González – Este é um dos atacantes com mais experiência pela seleção paraguaia. Após vários anos no futebol europeu, González assinou com o Olimpia em 2020 para brilhar no futebol local.

O jogador faz parte da seleção desde 2014 e é uma peça essencial do elenco. Conseguiu marcar um gol na Copa América de 2019 e tem tudo para guiar a nova geração de jogadores paraguaios na disputa deste ano.

Carlos Sanabria – Este atacante de 20 anos também atua no Olimpia e faz uma dupla ofensiva interessante com Derlis González. Ele foi convocado pela primeira vez para a seleção neste ano e possui pouca experiência. O objetivo é que ele ganhe minutos em campo e se transforme em uma referência para a nova geração.

Óscar Romero e Ángel Romero – Os dois irmãos continuam sendo uma referência na seleção paraguaia. Óscar e Ángel atuam juntos no San Lorenzo e já demonstraram boa capacidade para enfrentar bons jogadores. Enquanto esteve no Corinthians, Ángel Romero era um dos principais artilheiros da equipe.

Convocados desde 2013, Óscar e Ángel sempre tiveram um espaço cativo no Paraguai. Na Copa América de 2019, Óscar Romero foi convocado e esteve em campo durante duas partidas. Ángel deve atuar pela primeira vez na competição continental em 2021. 

Bolívia

Marcelo Moreno – Este é o principal nome do futebol boliviano nas últimas décadas. Com muita história no futebol brasileiro, principalmente no Cruzeiro, o atacante é o capitão da Bolívia e o maior artilheiro na história da seleção.

Titular desde 2007, Marcelo Moreno marcou 22 gols em 81 partidas pela Bolívia. Na Copa América de 2019, ele conseguiu ir às redes apenas uma vez e espera ser mais efetivo neste ano.

Juan Carlos Arce – Com experiência em diferentes clubes de distintos países, como Rússia, Brasil, Coreia do Sul e Catar, Arce é um dos mais experientes do elenco boliviano. Atualmente ele defende a equipe do Always Ready, após conquistar vários títulos com o Bolívar.

Referente histórico da seleção, Arce já marcou 12 gols em 74 partidas. Ele aparece na lista de maiores artilheiros da La Verde.

Leonel Justiniano – Atuando no futebol boliviano, Justiniano se transformou em uma referência do Bolívar. Na atual temporada, o meia foi essencial para colocar a equipe entre os melhores do campeonato local.

Sendo lembrado pela seleção desde 2017, ele já soma nove partidas oficiais. Na última edição do torneio continental, o meia marcou um gol nas três partidas que entrou em campo.

Carlos Lampe – Esse é o goleiro titular da seleção boliviana e é indiscutivelmente o melhor da posição. Chamado de La Barrera, o jogador é um dos principais nomes do Always Ready no futebol boliviano.

Lampe é titular da Bolívia desde 2016 e sempre recebeu muitos elogios. Na edição passada da Copa América, ele foi titular nos três jogos da equipe.