Palmeiras vs Flamengo: em busca da glória eterna

Tabela de Conteúdo

  1. Rumo à Glória Eterna: tudo sobre a Copa Libertadores
  2. Palmeiras vs Flamengo: em busca da glória eterna
  3. Como apostar na maior Copa das Américas

Montevidéu. Dia 27 de novembro de 2021. Dois times, uma taça. Prepare-se para uma batalha épica entre duas equipes brasileiras com camisas pesadíssimas, grandes torcidas e estilos completamente diferentes. Os elementos de uma grande partida entram em campo, e talvez a audiência no estádio Centenário – e em todo o mundo – assista a maior final da Copa Libertadores de todos os tempos.

De um lado, o time com a maior torcida do Brasil que, nos últimos anos, vem devorando títulos em sequência; do outro, o atual campeão da Copa Libertadores, comandado por um jovem técnico querendo se provar para o mundo do futebol. Jogadores de seleção de lado a lado. E uma rivalidade gigantesca, que faz o desejo de derrotar o adversário ser ainda maior que o desejo de vencer o torneio.

Ao final do jogo, só um poderá ser o vencedor. Só um alcançará a Glória Eterna.

Você está pronto para o maior Flamengo x Palmeiras de todos os tempos?

Palmeiras – tudo sobre o Verdão

A História do Palmeiras

Um dos times mais tradicionais do Brasil, o Palmeiras surgiu como clube da colônia italiana na Zona Oeste de São Paulo. O nome Palestra Itália foi alterado durante a Segunda Guerra para o Palmeiras de hoje. Nos anos 60 e metade dos 70, foi chamado de Academia, e rivalizava com o Santos de Pelé. Após uma década de 80 sofrida, voltou à cena nos anos 90, na chamada Era Parmalat. No começo do século atual, sofreu com queda para a segunda divisão, mas voltou com tudo em 2015, e tornou-se um frequentador assíduo de finais. Os títulos passaram a aparecer, culminando com a última Libertadores, em 2020. Agora, o Verdão quer repetir a dose.

Os melhores jogos da história do Palmeiras

Pergunte a qualquer palmeirense qual foi o melhor jogo da história do clube, e nove em cada dez responderá a final do Paulistão de 1993. O Palmeiras estava na fila de títulos há 16 anos, e enfrentou na final seu maior rival, o Corinthians. Após perder o primeiro jogo, Evair, Edmundo e companhia fizeram um sonoro 4 x 0 e acabaram com o tabu.

Contra o mesmo adversário, houve uma partida épica na semifinal da Libertadores de 2000. Após perder o primeiro jogo, o Verdão virou a segunda partida para um 3 x 2 e decidiu nos pênaltis, com “São Marcos” defendendo a cobrança do especialista Marcelinho Carioca.

Contra o Flamengo, há uma virada histórica em 1999, na Copa do Brasil. Perdendo por 2 x 1 na segunda partida, Felipão colocou Euler, ‘o filho do vento’, no lugar do lateral Arce e, em dez minutos, o time virou para 4 x 2.

E como ninguém esquece a primeira vez, é preciso mencionar a final da Copa Libertadores de 1999 que, se não foi um jogo brilhante, foi com muita raça e sofrimento. Mas, no final, César Sampaio levantou o caneco no antigo Parque Antártica.

Os maiores artilheiros da história do Palmeiras

Na época da primeira Academia, o Palmeiras teve artilheiros do calibre de Leivinha, Ademir da Guia e César Maluco. Já na Era Parmalat, o grande homem-gol foi Evair, mas não se pode ignorar os inúmeros gols que Edmundo e o capetinha Edilson fizeram vestindo a camisa do Palmeiras. Em 96, o time liderado por Djalminha fez mais de cem gols em um só campeonato paulista, uma marca não superada até hoje. Na época da primeira Copa Libertadores, o dono da bola era o meia Alex.

Os maiores títulos da história do Palmeiras

De todos os muitos títulos do Palmeiras, as duas Libertadores (99 e 20) são, sem dúvida, as maiores conquistas. Mas, além delas, o Verdão tem dez campeonatos nacionais para mostrar na sala de troféus – a maior quantidade entre todos os times do Brasil – além de quatro Copas do Brasil e 23 campeonatos paulistas.

E, em uma discussão infinita, o Verdão contabiliza um título mundial de clubes, conquistado no Torneio Internacional de Clubes Campeões de 1951, o que faria dele o primeiro clube campeão mundial de toda a história. Porém, a FIFA ainda não aceitou – nem negou – o pleito do clube. Até que se decida, a discussão de botequim continuará.

O Palmeiras na história da Copa Libertadores

Com 21 participações no torneio, o Palmeiras é uma das equipes brasileiras que mais frequentou os jogos da Libertadores. Após dois vice-campeonatos nos anos 60, as participações palmeirenses foram uma mistura de desventuras – desde convocações para seleção até misteriosos erros de arbitragem. Mas com o título de 99, o Palmeiras se colocou na primeira prateleira do continente, e suas participações recentes têm chegado bem longe. Mais que isso, o Verdão vem acumulando recordes – como maior número de vitórias jogando como visitante, e maior sequência invicta fora de casa.

Os jogadores do Palmeiras

O Palmeiras chega à final da Libertadores com um time que mescla grandes talentos com uma nova geração de jogadores, recentemente subidos das categorias de base. Sem contratar grandes reforços durante a pandemia – e também sem vender suas joias – o Palmeiras aposta no padrão de jogo do time para tentar se impor na partida. O técnico Abel Ferreira, há cerca de um ano no comando da equipe, já se mostrou capaz de analisar adversários e montar estratégias eficientes com suas peças – e alterar a dinâmica dos jogos, com variações táticas. Mesmo em um ano conturbado, com jogos em excesso, a preparação física do Verdão tem dado conta do recado, com poucos atletas no departamento médico.

No time titular do Palmeiras, alguns jogadores se destacam:

  • Weverton – Tido por muitos – inclusive Tite – como o melhor goleiro em atividade no Brasil, é de uma agilidade impressionante, e ainda capaz de fazer lançamentos precisos com os pés. Foi campeão olímpico defendendo pênalti no Maracanã, em 2016.
  • Gustavo Gomez – O zagueiro paraguaio é uma segurança pelo alto, e preciso no timing das coberturas. De quebra, ainda faz alguns gols de cabeça.
  • Felipe Melo – O veterano meio-campista declarou seu amor pelo Palmeiras após a final de 2020, quando jogou uma partida espetacular. Será que consegue repetir a dose este ano?
  • Dudu – Após uma temporada no Qatar, o ídolo palestrino voltou para casa e conquistou um lugar no time, com seus arranques rápidos e visão de jogo. Ausente na conquista do ano anterior, quer muito uma Libertadores para chamar de sua.
    Rony – Outro azougue para defesas adversárias, o atacante tem estrela, especialmente no torneio continental. É o artilheiro verde na competição e foi o autor da assistência para o gol do título em 2020.

Flamengo – tudo sobre o Rubro-negro

A História do Flamengo

Nascido em 1895 para disputar competições de remo, o Clube de Regatas Flamengo recebeu esse nome por conta do famoso bairro carioca onde os primeiros sócios se reuniram. O futebol só entrou nos quadros em 1912, após uma divisão no rival Fluminense, que fez vários jogadores se incorporarem ao nascente rubro-negro.

Durante a primeira metade do século XX, o Fla foi protagonista de diversas conquistas estaduais, inclusive vários tricampeonatos. Até hoje é o maior vencedor do torneio, com 31 conquistas.  No cenário nacional, porém, as conquistas se resumiam a torneios pontuais. Até que, no final dos anos 70, uma geração de ouro subiu ao time principal. Comandada por Zico, até hoje o maior ídolo do clube, o Mengo do início dos anos 80 também contava com Junior, Tita, Nunes, Carpegiani e vários outros. Foi a época dos três primeiros títulos nacionais, em 80, 82 e 83.

Em 92 veio mais um título, mas o resto da década foi ruim, com severas crises financeiras até a chegada da ISL, que injetou ânimo e muito dinheiro no time. Porém, em 2001 a ISL faliu e deixou o Flamengo com a ‘maior dívida do país’ e uma constante luta para evitar rebaixamentos.

Em 2006, porém, a maré começou a mudar, com o título da Copa do Brasil sobre o Vasco. E, em 2009, em uma arrancada impressionante, tirou uma grande desvantagem na tabela e venceu seu primeiro Brasileirão de pontos corridos, desbancando o Palmeiras.

Depois de um início de década ruim, os anos de 2010 marcaram uma incrível recuperação econômica do clube, que se livrou de dívidas e pôde investir em jogadores de peso para vestir a camisa do Flamengo. E não só jogadores: o novo Mengão trouxe o técnico Jorge Jesus de Portugal em 2019, que com um time de estrelas fez o escudo do Flamengo ganhar o campeonato nacional e a Libertadores no mesmo ano – e sem contestação.

Os melhores jogos da história do Flamengo

Nos últimos tempos o torcedor do Flamengo se acostumou a ver ótimos jogos de seu time. Mas, entre todos, nenhum vai ser mais emocionante que a final da Libertadores de 2019. Perdendo de um a zero até os 40 minutos do segundo tempo, o time conseguiu uma virada improvável em cinco minutos, consagrando Gabigol como o herói da conquista.

Mas há outro jogo da Libertadores vale um destaque: final contra o Cobreloa, em 1981. Disputada no mesmo estádio Centenário de Montevidéu, onde jogará a final deste ano, a partida acabou 2 x 0 – dois gols de Zico, que entrou para a história do clube e do futebol mundial.  Mais tarde, no mesmo ano, o Mengão pôs o Liverpool na roda e mandou um chocolate de 3 x 0, conquistando a estrela dourada de seu escudo.

Em nível nacional, os embates com o Vasco costumam ser motivo de orgulho, em especial o 3 x 1 na final do Carioca de 2001, com gol de falta de Petkovic aos 43 do segundo tempo. Em 2011, um jogo contra o Santos reuniu Neymar de um lado e Ronaldinho Gaúcho de outro. O resultado? 5 x 4 para o rubro-negro, em um espetáculo inesquecível.

Os maiores artilheiros da história do Flamengo

Novamente, não podemos escapar de Zico, o grande ídolo do clube, e um emérito fazedor de gols. Mas ele tinha companhia, como Nunes e Cláudio Adão, outros emblemáticos jogadores dos anos 80.

Algum tempo depois, Romário vestiu o manto sagrado e empilhou gols, fazendo coro com seu parceiro de copa Bebeto. Já mencionamos Ronaldinho Gaúcho e Petkovic, então resta só falar dos novos ídolos – Gabigol e Bruno Henrique, uma dupla que inferniza defesas e anota gols de todas as maneiras. E, o melhor – os dois ainda estão em atividade, com fome de disputar o jogo entre Flamengo e Palmeiras.

Os maiores títulos da história do Flamengo

Entre os títulos do Flamengo, nenhum pode ser maior que o Mundial de 81 – aquele chocolate sobre o Liverpool, mencionado acima. Em seguida vem os dois títulos de Libertadores, ambos alucinantes. E logo depois os títulos nacionais, que qualquer flamenguista conta oito, incluindo o título da Copa União de 87 – ainda que, para efeitos legais, o campeão daquele ano seja o Sport de Recife. Mas não há decisão judicial que tire a glória rubro-negra.

O Flamengo na história da Copa Libertadores

Depois do título de 81, o Flamengo na Libertadores passou alguns maus bocados, com eliminações precoces e por vezes inexplicáveis. Mas as campanhas recentes, em 19 e 20, animaram o torcedor, e o time foi bem nas fases anteriores. Agora, o próximo jogo na Libertadores é mais uma final – uma Flamengo e Palmeiras que promete ser inesquecível.

Os jogadores do Flamengo

Quando o time rubro-negro parece bom, fica ainda melhor.  Mantendo a base do Flamengo de Jorge Jesus, a equipe finalista da Libertadores 2021 descobriu gratas surpresas no banco de reservas, e trouxe algumas adições pontuais promissoras. O excesso de jogos no final da temporada pode ser um fator, mas certamente a qualidade dos suplentes pode mudar o resultado de um jogo do Flamengo. É até difícil destacar nomes no time titular. Mas, num grande esforço – e certamente cometendo alguma injustiça – aqui vai:

  • Diego Alves – Depois de tempos difíceis, a posição de goleiro do Flamengo tem um dono. E que é, ainda por cima, um grande pegador de pênaltis – inclusive garantiu dessa maneira o título da Supercopa do Brasil contra o Palmeiras.
  • David Luis – O cabeludo zagueiro da Copa de 2014 chegou ao Mengo no meio do ano, para fazer dupla com Rodrigo Caio e solidificar o ponto mais vulnerável da equipe, a defesa.
  • Arrascaeta – O meio campista uruguaio é um maestro do meio campo, com uma ótima visão de jogo, passe excelente e poderoso chute de fora da área. Difícil de parar em um dia inspirado.
  • Bruno Henrique – O rapidíssimo atacante é a solução para jogos truncados. Com sua velocidade, consegue quebrar as linhas e bagunçar qualquer esquema defensivo.
  • Gabigol – O atacante do Flamengo e da seleção já é um dos maiores artilheiros do clube em toda a história. Capaz de fazer gols de qualquer lugar, com qualquer perna, com muito oportunismo e senso de colocação. E dificilmente perde um pênalti.

Verdão e Rubro-negro, frente a frente na final da Copa Libertadores 2021

A grande final em Montevidéu tem tudo para se tornar um dos melhores momentos de Flamengo e Palmeiras, uma rivalidade histórica que tem se acirrado nos últimos anos. No retrospecto recente, o Mengão leva vantagem, com dez jogos sem perder para o rival. Mas o Palmeiras tem quinze jogos de invencibilidade na competição quando joga fora de casa.

Flamengo e Palmeiras nunca se enfrentaram no torneio continental mais importante das Américas. O rubro-negro vai apostar no seu poderoso ataque, enquanto o Verdão confia na ‘defesa que ninguém passa’. O duelo de técnicos traz o boleirão Renato Portaluppi de um lado, com o mérito de ter ganhado o vestiário da Gávea rapidamente, e de outro o lusitano Abel Ferreira, estudioso do esporte e obstinado estrategista.

Seja qual for o resultado do jogo Flamengo e Palmeiras, um novo capítulo da história do futebol terá sido escrito. E um dos times terá conquistado a Glória Eterna.